20.4 C
Peru
Thursday, September 16, 2021

Sobrinho de Kennedy é expulso do Instagram por disseminar informações falsas relacionadas ao coronavírus

Must read

Militante do movimento contra as vacinas, ele regularmente faz ligações, sem comprovação, entre os imunizantes e o autismo e afirmou ser mais seguro contrair a Covid-19 do que se proteger contra ela

Do The New York Times

11/02/2021 – 09:35
/ Atualizado em 11/02/2021 – 09:40

Advogado Robert F. Kennedy Jr. fala a uma multidão de apoiadores do lado de fora da Suprema Corte do Estado de Nova York após uma audiência que questiona a constitucionalidade da revogação da isenção religiosa à vacinação pelo Legislativo do Estado de Nova York em Albany, Nova York. Foto: MIKE SEGAR / REUTERS
Advogado Robert F. Kennedy Jr. fala a uma multidão de apoiadores do lado de fora da Suprema Corte do Estado de Nova York após uma audiência que questiona a constitucionalidade da revogação da isenção religiosa à vacinação pelo Legislativo do Estado de Nova York em Albany, Nova York. Foto: MIKE SEGAR / REUTERS

NOVA YORK — O Instagram removeu a conta de Robert F. Kennedy Jr., sobrinho do ex-presidente John F. Kennedy e proeminente ativista antivacinas, na quarta-feira, por disseminar informações falsas relacionadas ao coronavírus e às vacinas.

“Removemos essa conta por compartilhar repetidamente alegações desmentidas sobre o coronavírus ou vacinas”, disse o Facebook, dono do Instagram, em um comunicado.

Kennedy, filho do ex-senador e procurador-geral dos Estados Unidos, Robert F. Kennedy, trabalhou por décadas como advogado ambiental, mas agora é mais conhecido como um militante anti-vacinas. Um estudo de 2019 descobriu que dois grupos, incluindo sua organização sem fins lucrativos, agora chamada de Defesa da Saúde Infantil, financiaram mais da metade dos anúncios do Facebook espalhando desinformação sobre vacinas.

Facebook: Plataforma reduz conteúdo político para ‘baixar temperatura’ do debate no Brasil, Canadá, Indonésia e EUA

Ele encontrou um público ainda mais amplo durante a pandemia em plataformas como o Instagram, onde tinha 800 mil seguidores. Embora Kennedy tenha dito que não se opõe às vacinas desde que sejam seguras, ele regularmente endossa ligações sem comprovação entre as vacinas e o autismo e argumentou que é mais seguro contrair o coronavírus do que se proteger contra ele.

O Facebook está se tornando mais agressivo em seus esforços para erradicar a desinformação sobre vacinas, dizendo esta semana que removeria postagens com alegações errôneas sobre o coronavírus, vacinas contra a doença, e vacinas em geral, sejam anúncios pagos ou gerados por usuários. Além da conta do Instagram de Kennedy, a empresa disse que removeu outras oito contas do Instagram e páginas do Facebook na quarta-feira sob suas políticas atualizadas.

Eles não incluíram a página de Kennedy no Facebook, que ainda estava ativa nesta quinta-feira e faz muitas das mesmas afirmações infundadas para mais de 300 mil seguidores. A empresa disse que não desativou automaticamente as contas em suas plataformas e que não havia planos de retirar a conta do de Kennedy no Facebook “neste momento”.

Leia Ainda:Proposta mexicana para regular redes sociais viola tratado comercial, diz associação de internet

A Defesa da Saúde Infanti não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Membros da família de Kennedy se manifestaram contra seus esforços anti-vacina, incluindo um irmão, irmã e sobrinha que o acusaram de espalhar “desinformação perigosa” em uma coluna que escreveram para o site Politico em 2019. Outra sobrinha, Kerry Kennedy Meltzer, médica do NewYork-Presbyterian Hospital / Weill Cornell Medical Center, escreveu um ensaio de opinião no The New York Times em dezembro desafiando suas afirmações.

“Eu amo meu tio Bobby. Eu o admiro por muitos motivos, principalmente por sua luta de décadas por um meio ambiente mais limpo. Mas quando se trata de vacinas, ele está errado”, escreveu ela

spot_img

More articles

- Advertisement -

Latest article