26.8 C
Peru
Wednesday, June 16, 2021

Sem torcida, sem festa: Covid-19 impõe Super Bowl diferente aos fãs 

Must read

Tratatada quase como um feriado, final da NFL terá que respeitar medidas sanitárias; nos EUA, mais de 450 mil pessoas já morreram vítimas do novo coronavírus

Amy Tennery e Rory Carrol, Reuters

07/02/2021 – 11:46

Tampa Bay Buccaneers fans wore themed masks at the Super Bowl Experience presented by Lowes at Curtis Hixon Waterfront Park ahead of the weekend's Super Bowl LV between the Kansas City Chiefs and Tampa Bay Buccaneers in Tampa, Florida, U.S., February 5, 2021. REUTERS/Eve Edelheit Foto: EVE EDELHEIT / REUTERS
Tampa Bay Buccaneers fans wore themed masks at the Super Bowl Experience presented by Lowes at Curtis Hixon Waterfront Park ahead of the weekend’s Super Bowl LV between the Kansas City Chiefs and Tampa Bay Buccaneers in Tampa, Florida, U.S., February 5, 2021. REUTERS/Eve Edelheit Foto: EVE EDELHEIT / REUTERS

Os fãs que esperam para assistir o Super Bowl neste domingo vão encontrar um cenário muito diferente, com a pandemia do coronavírus restringindo as comemorações de um dos feriados não-oficiais favoritos dos Estados Unidos.  

Aqueles que escolherem se reunir em grandes ou pequenas festas para assistir à final em Tampa ou ao redor do país, devem encarar as regras da Saúde Pública para cumprir os protocolos básicos de segurança, em meio à pandemia da Covid-19, responsável por tirar mais de 450 mil vidas no país.

Super Bowl:Por que os Chiefs vão vencer os Buccaneers, de Tom Brady

O Centro de Controle e Prevenções de Doenças dos EUA declarou que quem for a eventos assistir ao jogo de forma coletiva, deve evitar “cantar ou torcer” e evitar ir ao banheiro em “picos de movimento intenso”.

Para os negócios locais de Tampa, na Flórida, atender aos padrões de segurança desta pandemia pode significar trabalho extra sem a gorjeta generosa de que eles poderiam lucrar com o principal evento esportivo norte-americano da cidade

– Precisamos ter certeza de que estamos tomando precauções absolutamente o tempo todo –, diz Tom Malloy, de 25 anos, gerente do Ducky’s Sports Lounge em Tampa, que planeja receber fãs para uma festa neste domingo, com mesas internas e externas e 40 TVs exibindo o grande jogo

– Como estabalecimento, estamos dispostas a aceitar qualquer uma dessas adaptações para fazer com que as pessoas se sintam mais seguras – explica Malloy.

O gerente disse que a pandemia tem sido uma lição de aprendizado em relação a como atender às medidas locais de segurança e, ao mesmo tempo, resistir à “forte porrada” para a receita.

Super Bowl: Mahomes pode superar Tom Brady e se tornar o novo maior da história da NFL? 

– Estamos usando o Super Bowl como um tipo de oportunidade para, talvez, retomar um relacionamento com o público que esteve afastado dos bares desde o começo da pandemia – declarou Malloy  – Graças a Deus, o Super Bowl tem nos ajudado. 

A 2,5 mil milhas de distância, em Long Beach, na Califórnia, o Legend Sports Bar, na agitada 2ª Avenida, se prepara para aquele que é tradicionalmente um dos dias mais movimentados do ano.

Normalmente, o grande restaurante estaria lotado de torcedores, mas, por conta das restrições impostas pelo novo coronavírus para refeições em ambientes internos, mesas adicionais foram colocadas no exterior, direcionadas a grandes televisões.

– Estamos a todo vapor. As TVs ligam com o som no maior volume possível – disse o gerente Daryl Domantay – Todas as mesas posicionadas a 2,5 metros de distância uma das outras já se esgotaram.

De acordo com ele, caberá aos funcionários evitar aglomerações, o que, ele já adianta, será um desafio.

– Vai ser difícil porque, normalmente, as pessoas correm de um lado para o outro, se abraçando. Mas, dessa vez, a não ser que estejam nos banheiros, elas terão que ficar em seus lugares – diz o Domantay.

Mas o gerente diz ser sortudo, já que bares do mesmo formato em Los Angeles são geridos por diferentes agências de saúde e são proibidos de terem TV para, assim, desencorajarem aglomerações. 

Os fãs da NFL que planejam uma esbórnia com comida e futebol em casa ao longo do domingo também não estão isentos às medidas restritivas. 

Anthony Fauci, principal infectologista dos Estados Unidos, disse esta semana que as festas tradicionais do passado “definitivamente, não deveriam ocorrer”.

– Por mais difícil que seja, pelo menos dessa vez, devíamos ficar tranquilos – disse Fauci no Good Morning America. 

spot_img

More articles

- Advertisement -

Latest article