8.9 C
Peru
Thursday, December 2, 2021

Prefeitura do Rio realiza reunião de secretariado para definir planejamento estratégico

Must read

Na agenda, Paes e secretários traçaram panorama do primeiro mês de gestão; após evento, prefeito abordou impasse com o BRT, reiterando suspeita de “operação tartaruga”

Rodrigo de Souza

06/02/2021 – 13:33
/ Atualizado em 06/02/2021 – 14:10

Eduardo Paes se reúne com secretários no Centro de Convenções Sulamérica, no Centro, neste sábado, 6. Foto: Beth Santos / Prefeitura do Rio
Eduardo Paes se reúne com secretários no Centro de Convenções Sulamérica, no Centro, neste sábado, 6. Foto: Beth Santos / Prefeitura do Rio

RIO — A Prefeitura do Rio realizou uma reunião de secretariado na manhã deste sábado (6), no Centro de Convenções Sulamérica, no Centro. No evento, que começou às 8h e terminou às 12h, os secretários desenharam um balanço da gestão até agora e apresentaram, a pedido do prefeito Eduardo Paes (DEM), metas para o planejamento estratégico a ser implementado nos próximos meses. Ao fim da reunião, em entrevista a jornalistas, Paes também comentou o impasse com o Sindicato dos Rodoviários, que cobram melhores condições salariais aos motoristas do BRT.

Leia mais:  ‘Não sejam otários. Não comprem ingressos’, diz Paes sobre festas clandestinas no Carnaval

— Buscamos aqui avaliar os últimos 30 dias. Os desafios da cidade são grandes. Óbvio que tivemos um foco no trabalho feito pela secretaria de Saúde no combate à pandemia. A gente (também) vem enfrentando desafios, como sempre enfrentamos, no transporte. A gente tinha um planejamento muito claro para os 100 primeiros dias de governo, houve uma cobrança de como está andando esse trabalho. E já (houve) uma apresentação do planejamento estratégico, que é uma cobrança que fizemos nas minhas administrações anteriores, definir os próximos meses com metas, aonde queremos chegar — disse Paes.

Segundo o prefeito, as metas apresentadas pelo secretariado neste sábado se referem a compromissos firmados na campanha eleitoral. Mas ele não descarta que novos objetivos sejam deliberados nos próximos meses:

— No decorrer do planejamento estratégico, podemos ir além do compromisso de campanha. Por exemplo, as clínicas da família, os próprios BRTs surgiram de planejamentos como este que começamos a fazer hoje. É um processo, um processo de discussão com a sociedade. A partir da próxima de semana, começamos um trabalho de escuta e conversa com a sociedade para definirmos claramente essas metas.

Vacinação:  Rio terá 9 postos drive-thru para vacinação de idosos com 90 anos ou mais no sábado

O prefeito também comentou a paralisação dos motoristas do BRT na última segunda-feira (1º). Depois que as viações disseram não ter dinheiro em caixa para pagar seus funcionários, os rodoviários resolveram interromper sua atividade por um dia. Neste sábado, Paes reiterou sua suspeita de que a concessionária que administra o BRT realizou uma espécie de “operação tartaruga” com o objetivo de pressionar o poder público.

— Não tenho a menor dúvida de que o que aconteceu na segunda-feira foi uma ação coordenada, para não chamar de locaute. Nós estabelecemos o prazo de 90 dias para tomar decisões mais definitivas em relação ao modelo. Infelizmente, não teremos soluções muito imediatas. Queremos melhorar o serviço agora, mas (também) pensar, em médio e longo prazo, em soluções definitivas.

Educação:  Ano letivo na rede pública do Rio começa com aulas remotas; entenda

Nesta sexta-feira (5), o BRT realizou a segunda parcela do salário de janeiro para todos os colaboradores que não exercem funções de liderança — 95% dos funcionários, segundo a empresa. Os demais colaboradores deverão ser pagos nesta segunda-feira (8).

“Apesar de conseguir honrar seu principal compromisso financeiro, o BRT Rio segue em busca de soluções emergenciais, ainda que paliativas, para enfrentar o desequilíbrio em suas contas e garantir a continuidade do funcionamento do serviço, mesmo sob uma realidade de colapso econômico-financeiro”, comunicou o BRT, em nota, nesta sexta.

Segundo a concessionária, o sistema BRT Rio trabalhou com queda de até 75% no número de passageiros. Hoje, 11 meses depois do início do combate à Covid-19, essa queda se mantém no patamar de 45% em relação ao período anterior à pandemia. A perda de receita entre março de 2020 e janeiro de 2021 atingiu R$ 200 milhões, disse ainda a empresa.

Na última terça-feira (2), após uma reunião de conciliação com representantes do BRT mediada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), o Sindicato dos Rodoviários definiu que não haverá paralisação até esta segunda-feira (8), quando acontece uma nova assembleia da categoria. No evento, será discutido um termo proposto pela concessionária que prevê rodízio na escala de trabalho, com redução salarial.

spot_img

More articles

- Advertisement -

Latest article