27.9 C
Peru
Monday, September 27, 2021

Olimpíada: Após ganhar duas medalhas em Tóquio, Rebeca Andrade fica fora do pódio na final do solo

Must read

Ginasta brasileira pisa fora do tablado em uma das acrobacias e termina na 5ª posição

O Globo

02/08/2021 – 06:38 / Atualizado em 02/08/2021 – 06:54

Rebeca Andrade se apresenta na final do solo Foto: COB
Rebeca Andrade se apresenta na final do solo Foto: COB

Rebeca Andrade tentou fazer sua parte para se se tornar o maior nome do Brasil nesta edição de Jogos Olímpicos. Na manhã desta segunda-feira, ela fez uma grande apresentação na final do solo ao som de “Baile de Favela”, mas ficou fora do pódio. O ouro ficou com a americana Jade Carey, com 14.366, e a prata foi para a italiana Vanessa Ferrari, com 14.200. O terceiro lugar acabou em um empate entre a dona da casa Mai Murakami e a russa Angelina Melnikova.

Ela está de volta: Simone Biles vai disputar a final da trave após desistir de cinco provas

Rebeca tentava sua terceira medalha em Tóquio, foi a sétima a se apresentar, e recebeu a nota 14.033. Na primeira acrobacia de sua série, acabou pisando com um dos pés fora do tablado. Na classificatória, ela havia tirado 14.166.

Faça o teste:Qual é o seu esporte na Olimpíada de Tóquio?

Independentemente do resultado desta segunda, a participação de Rebeca na Olimpíada é histórica. Após se tornar a primeira medalhista da ginástica brasileira com a prata no individual geral, Rebeca ainda garantiu o ouro na final do salto e se tornou a primeira mulher do Brasil com duas medalhas numa mesma edição de Olimpíada.

Rebeca Andrade levou o
Rebeca Andrade levou o “Baile de Favela”, o ritmo da periferia de tantas garotas negras como ela, para Tóquio. A ginasta é a primeira do Brasil a conquistar uma medalha olímpica Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP
Rebeca conquistou a medalha de prata na final individual de ginástica artística Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP
Rebeca conquistou a medalha de prata na final individual de ginástica artística Foto: LIONEL BONAVENTURE / AFP
Rebeca foi penúltima ginasta a se apresentar no solo, praticamente fechando a final individual geral feminina Foto: MARTIN BUREAU / AFP
Rebeca foi penúltima ginasta a se apresentar no solo, praticamente fechando a final individual geral feminina Foto: MARTIN BUREAU / AFP
Rebeca pisou fora duas vezes do tablado mas, mesmo assim, marcou 13,666, uma das maiores notas do solo na final olímpica Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
Rebeca pisou fora duas vezes do tablado mas, mesmo assim, marcou 13,666, uma das maiores notas do solo na final olímpica Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
Brasileira se inspira em Daiane dos Santos e espera influenciar uma nova geração de atletas negras na ginástica Foto: LOIC VENANCE / AFP
Brasileira se inspira em Daiane dos Santos e espera influenciar uma nova geração de atletas negras na ginástica Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca durante a prova na trave, um dos aparelhos mais difíceis da categoria Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca durante a prova na trave, um dos aparelhos mais difíceis da categoria Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca Andrade, medalhista olímpica na ginástica nos Jogos de Tóquio 2020 Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca Andrade, medalhista olímpica na ginástica nos Jogos de Tóquio 2020 Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca, de 22 anos, fez história ao conquistar a primeira medalha olímpica feminina Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca, de 22 anos, fez história ao conquistar a primeira medalha olímpica feminina Foto: LOIC VENANCE / AFP
Rebeca Andrade deu show em Tóquio, sendo aplaudida durante sua apresentação Foto: MIKE BLAKE / REUTERS
Rebeca Andrade deu show em Tóquio, sendo aplaudida durante sua apresentação Foto: MIKE BLAKE / REUTERS
Rebeca Andrade conquista a prata em medalha olímpica inédita para a ginástica feminina do Brasil Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
Rebeca Andrade conquista a prata em medalha olímpica inédita para a ginástica feminina do Brasil Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
No individual geral, ginasta brasileira teve melhor nota no salto sobre mesa, bom desempenho nas barras assimétricas e na trave e finalizou com 'Baile de Favela' no solo Foto: LOIC VENANCE / AFP
No individual geral, ginasta brasileira teve melhor nota no salto sobre mesa, bom desempenho nas barras assimétricas e na trave e finalizou com ‘Baile de Favela’ no solo Foto: LOIC VENANCE / AFP
No terceiro aparelho, a trave, Rebeca manteve ótimo desempenho e fez uma apresentação irretocável, sem desequilíbrios graves e com chegada firme Foto: MIKE BLAKE / REUTERS
No terceiro aparelho, a trave, Rebeca manteve ótimo desempenho e fez uma apresentação irretocável, sem desequilíbrios graves e com chegada firme Foto: MIKE BLAKE / REUTERS
Nas barras paralelas, Rebeca apresentou uma série correta, mas com uma pontuação menor (14.666) Foto: LINDSEY WASSON / REUTERS
Nas barras paralelas, Rebeca apresentou uma série correta, mas com uma pontuação menor (14.666) Foto: LINDSEY WASSON / REUTERS
Rebeca nas barras paralelas durante o individual geral feminino Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
Rebeca nas barras paralelas durante o individual geral feminino Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
Rebeca nas barras paralelas durante o individual geral feminino Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
Rebeca nas barras paralelas durante o individual geral feminino Foto: DYLAN MARTINEZ / REUTERS
No salto sobre mesa, a brasileira cravou nota de 15,300 Foto: LINDSEY WASSON / REUTERS
No salto sobre mesa, a brasileira cravou nota de 15,300 Foto: LINDSEY WASSON / REUTERS
Ótimos desempenhos colocaram a brasileira na liderança após duas rotações de aparelhos e credenciam Rebeca a seguir na disputa por medalha Foto: LINDSEY WASSON / REUTERS
Ótimos desempenhos colocaram a brasileira na liderança após duas rotações de aparelhos e credenciam Rebeca a seguir na disputa por medalha Foto: LINDSEY WASSON / REUTERS
Ginasta brasileira Rebeca Andrade mostra sua medalha de prata conquistada na final do individual geral. Foto: COB
Ginasta brasileira Rebeca Andrade mostra sua medalha de prata conquistada na final do individual geral. Foto: COB
Rebeca e seu técnico na ginástica. Foto: COB
Rebeca e seu técnico na ginástica. Foto: COB
Pódio formado com a americana Sunisa Lee (ouro), a brasileira Rebeca Andrade (prata) e a russa Angelina Melnikova (bronze). Foto: COB
Pódio formado com a americana Sunisa Lee (ouro), a brasileira Rebeca Andrade (prata) e a russa Angelina Melnikova (bronze). Foto: COB

Rebeca, de 22 anos, encerra aqui sua participação na Olimpíada. Ela já é a maior ginasta de todos os tempos do país e da América do Sul, e colocou de vez o nome do Brasil no topo da modalidade. Suas conquistas também quebram o domínio recente dos EUA, China e Rússia nas Olimpíadas.

Previous articleANÁLISIS | Estados Unidos, es hora de pagar el alquiler
Next articleMãe de jovem morta a facadas em shopping não conseguiu superar a perda: 'Não queria que nada de mal acontecesse com ela'
spot_img

More articles

- Advertisement -

Latest article