2.4 C
Peru
Sunday, December 5, 2021

O que é Karol Conká perto de Bia Kicis?

Must read

Leo Aversa Foto: OGlobo



Exclusivo para Assinantes

Tem outras vilãs que são analógicas, não somem quando se desliga a televisão

A gente adora um vilão na tela: Odete Roitman. Darth Vader. Carminha. Thanos. Pedro de Lara.

Muitas vezes a gente até gosta mais de odiar o vilão do que amar o mocinho, algo que ficou mais intenso nos últimos tempos, quando detestar os outros virou hobby, profissão e até ciência. O que importa hoje em dia é brigar e arrumar desafetos. Amor é para os fracos, empatia, coisa do passado. As redes sociais estão repletas de coaches de raiva e sommeliers de ressentimentos, prontos para soprar qualquer fogueira e extrair a ira do mais pacífico ser.

Karol Conká, a vilã da vez, no
Karol Conká, a vilã da vez, no “BBB21” Foto: Reprodução / Reprodução

Quem se destaca na cizânia das redes é o lacrador, o flanelinha do ódio. Ele pega as causas mais nobres e as estaciona nas vagas da militância raivosa e dos discursos binários. O lacrador gosta de exibir uma suposta superioridade moral, apontar o dedo e decretar cancelamentos alheios. Sua meta é eliminar qualquer ideia fora da — sua — fôrma.

O BBB de 2021 teve a esperteza de juntar vários na casa mais blá-blá-blá, ciente que tantos likes e compartilhamentos os deixaram perturbados a ponto de se considerarem divindades. “Quem não te conhece que te compre”, diz a máxima. Como os mais velhos estamos cansados de saber e o BBB está mostrando, nada é mais ridículo e patético do que uma autoproclamada divindade na vida real.

Só precisaram ligar a câmera.

Não deu outra: os lacradores mostraram o seu repertório de egocentrismo, hipocrisia, autocelebração e intolerância. Deu ruim. O assédio moral deles acabou forçando a saída do Lucas Penteado, vítima da diferença entre a teoria e a prática militante. Entre a turba, uma conseguiu se destacar: Karol Conká.

Será que ela é tão tóxica assim? Será que não tem pior na vida real?

Não quero decepcionar quem passa o dia nas redes xingando a Karol, mas nunca é demais lembrar que o BBB é só uma casa e que televisão a gente pode desligar. Tem outras vilãs muito mais sinistras que atuam fora da tela e não estão ao alcance do controle remoto.

Vocês já ouviram falar na Bia Kicis?

É a deputada que está sendo cotada para presidir a principal comissão da Câmara dos Deputados, a CCJ. Vai mandar muito. Na Câmara, no país, em nós. Sabem as fake news, aquelas notícias falsas, calúnias e ameaças que estão destruindo a democracia? Bia Kicis está sendo investigada no STF por elas. Sabem aquele negacionismo mais descerebrado e genocida, que recomenda cloroquina, ensina a não usar máscara e a furar quarentena? Ela, Bia. Escola sem Partido? Ela. Diminuir os fundos para ensino público? Ela. Treta com a China? Ela. Volta do voto impresso? Ela, sempre ela. Procurem saber.

São atitudes nefastas que não afetam apenas os moradores de uma casa, mas a todos nós. Mais de 200 milhões.

Não quero tirar da Karol Conká o título de vilã, ela está se esforçando para merecê-lo, mas tem outras vilãs que são analógicas, não somem quando se desliga a tela nem podem ser eliminadas do programa por mau comportamento. Bia Kicis continuará um bom tempo na Câmara, assombrando a nação com seu arsenal de iniquidades.

Para a nobre deputada, como para vários colegas seus, somos todos Lucas Penteado e seremos sempre tratados como tal. A única diferença é que a gente não pode abandonar a casa.

spot_img

More articles

- Advertisement -

Latest article