0.1 C
Peru
Tuesday, April 20, 2021

Enteado do 'Senhor das Armas' deixa cadeia no Rio pela porta da frente graças a fraude

Must read

João Filipe Cordeiro Barbieri foi condenado a 27 anos de prisão por associação para o tráfico e tráfico internacional de armas

O Globo

10/02/2021 – 12:48
/ Atualizado em 10/02/2021 – 12:55

João Filipe Cordeiro Barbieri usou um alvará falso Foto: TV Globo / Reprodução
João Filipe Cordeiro Barbieri usou um alvará falso Foto: TV Globo / Reprodução

RIO — Condenado a 27 anos de prisão por associação para o tráfico e tráfico internacional de armas, João Filipe Cordeiro Barbieri deixou a cadeia, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, pela porta da frente graças a uma fraude. A informação é do telejornal “RJ2”, desta terça-feira. Enteado de Frederick Barbieri, conhecido como o “Senhor das Armas” e que está preso nos Estados Unidos, ele usou um alvará de soltura falso.

Turismo resiste no Rio:Ocupação em hotéis durante o carnaval deve cair de 93% para 65%, mas setor comemora

João Filipe é apontado como um dos maiores traficantes de armas do mundo e era um dos principais integrantes da quadrilha do padrasto. O bando foi responsável, segundo investigações da Polícia Federal, por enviar milhares de fuzis para o Brasil. As armas eram escondidas em aquecedores de piscina. João estava preso desde 2017 e saiu da cadeia em 18 de novembro de 2020, segundo a Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap).

De acordo com o “RJ2”, a denúncia sobre a saída de João Filipe da penitenciária chegou ao desembargador Marcelo Granado, relator do caso na Justiça Federal. O magistrado, então, pediu explicações para a Seap sobre a situação dele e de outro preso, João Victor Roza, que também responde por tráfico internacional de armas. Na semana passada, a secretaria confirmou que os dois detentos deixaram a prisão.

A Seap enviou para a Justiça Federal, na última segunda-feira, um ofício confirmando que João Filipe e João Victor estão em liberdade — este último desde 14 de outubro de 2020.  Os alvarás de soltura, porém, não foram anexados ao documento. A pasta informou apenas que os alvarás foram concedidos pela 8ª Vara Federal Criminal.

Ao “RJ2”, o advogado criminalista Afonso Destri disse que a 8ª Vara não poderia liberar Barbieri porque o processo não está mais na primeira instância: “A partir do momento que o processo é submetido à análise do tribunal, o magistrado de 1ª instância não pode mais prestar jurisdição. Alguma coisa está faltando nessa história”.

Nesta terça-feira à tarde, a Justiça Federal confirmou que não deu qualquer decisão para soltar Barbieri e que o alvará de soltura é falso. Marcelo Granado afirmou que cobrará explicações do Ministério Público e da Seap. O desembargador determinou que João Filipe e João Victor Silva Roza sejam imediatamente presos. Os dois são considerados foragidos.

Seap estabelece novo protocolo de checagem

Em nota, a Seap informou que instaurou uma sindicância para apurar “rigorosamente” o que aconteceu. E diz, ainda, que “estabeleceu um novo protocolo de dupla checagem de documentos eletrônicos , a fim de evitar  fraudes, relacionadas ao envio de comunicações judiciais falsas”. Leia a íntegra do informe:

“A Secretaria de administração penitenciária informa que instaurou sindicância, para apurar rigorosamente os fatos . A Seap reitera que está apoiando  as investigações Ministério Público Federal  e Tribunal de Justiça Federal. A secretaria estabeleceu um novo protocolo de dupla checagem de documentos eletrônicos, a fim de evitar  fraudes, relacionadas ao envio de comunicações judiciais falsas” .

More articles

- Advertisement -

Latest article