10.6 C
Peru
Saturday, May 8, 2021

Biden diz que haverá uma 'extrema competição' com a China em sua gestão, mas não um conflito

Must read

Em entrevista exibida pelo canal CBS, o presidente norte-americano fala pela primera vez sobre o futuro da relação bilateral e afirma que terá uma abordagem diferente da adotada por Trump

O Globo, com agências internacionais

07/02/2021 – 14:21
/ Atualizado em 07/02/2021 – 16:09

O presidente dos Estados Unidos, Joe Bien Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS
O presidente dos Estados Unidos, Joe Bien Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS

WASHINGTON — O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prevê uma “extrema competição” entre os Estados Unidos e a China, mas não deseja um conflito entre as duas principais potências do mundo, de acordo com uma entrevista exibida pelo canal CBS.

Leia mais:  ‘Brasil deve ser não alinhado na disputa entre China e EUA’, diz historiador Niall Ferguson

Biden disse que desde que assumiu o cargo ainda não conversou com o colega chinês, Xi Jinping, mas que “não tem motivos para não ligar para ele”.

 — Ele não tem, e não digo isso como uma crítica, apenas como realidade, um só osso democrático em seu corpo. A questão é, eu disse o tempo todo que não precisamos ter um conflito. Mas vai haver extrema competição. E não vou fazer isso da maneira que ele conhece — afirmou Biden na entrevista.

Equador:  Tensões entre Estados Unidos e China impactam eleição

Ele explicou que não vai fazer isso “da forma que Trump fez”, mas que vai se “concentrar nas regras internacionais”.

Os comentários do presidente americano estão entre os primeiros a respeito da posição de seu governo sobre a China desde que assumiu o cargo, em 20 de janeiro passado. Washington considera a China como seu principal adversário estratégico, assim como seu primeiro desafio no cenário mundial.

Leia mais: Diplomacia de Biden reconstruirá pontes com aliados, mas aumentará pressão sobre rivais

Trump optou por um confronto aberto e ataques verbais, embora sem quaisquer resultados tangíveis, em especial em termos comerciais  — o enorme déficit comercial dos Estados Unidos com a China não diminuiu. Biden desmantelou muitas das medidas mais polêmicas da era Trump, ao mesmo tempo em que sinaliza que a potência americana cuidará de seus próprios interesses.

More articles

- Advertisement -

Latest article